CAXIAS DO SUL-1904 A 1910-FOTOS HISTÓRICAS DE DOMINGOS MANCUSO

FOTOS HISTÓRICAS DE DOMINGOS MANCUSO TOMADAS ENTRE OS ANOS DE 1904 A 1910.

VISTA PARCIAL DA ANTIGA COLÔNIA CAXIAS. A ESTRADA AO CENTRO SE TORNOU A 
RUA SILVEIRA MARTINS, CONHECIDA TAMBÉM COMO "RUA GRANDE"
 (ATUAL AVENIDA JÚLIO DE CASTILHOS).
CAXIAS DO SUL, CA. 1880
Vista da fachada do prédio onde funcionou os cinemas Coliseu, Iris e União 
(primeiros cinemas da cidade)  um incêndio destruiu    prédio e no local foi 
construída a quadra para prática de tênis e voleibol do atlético


 Eberle. à direita, vê-se o prédio de propriedade de Augusto Ubner, onde 
estava instalada a segunda e última sede do social do clube aliança 
e a segunda sede social do recreio da juventude. 
o local é a avenida Júlio de Castilhos.

ano, 1904
Vista parcial da antiga rua Silveira Martins (conhecida como rua grande) atual 
Av.Júlio de castilhos. Quadra entre as ruas  Dr. Montaury e Visconde de Pelotas
Ano, 1904 







Vida Colonial- Família Boff
Ano, 1904


Vista parcial de Caxias do Sul, tomada a partir do lado nordeste da
 cidade, proximidades da rua Treze de Maio.
ano, 1905






Vista  parcial  da Praça Dante Alighieri quando da visita de um dos 
Tiros de Guerra de Porto Alegre. 
A praça estava passando por reformas, remodelação e nivelamento
 Ano 1908 


Cena de casamento do casal, Fino Lucchesi e Antonieta Luchesi.
 Da esquerda para a direita: Antonieta Lucchesi, Firmino Lucchesi
 Luiz Lucchesi, paido noivo e Alberto Lucchesi, irmão de Firmino.
ano, 1910


Vista da fachada do Café Central, antigo prédio
 da intendência municipal, localizado
 na rua Dr. Montaury, entre a avenida Julio de
 Castilhos e Sinimbu. O estabelecimento era
 de propriedade dos irmãos Zors.
1910


Mulher vestida com os trajes com as cores da

República, portando a bandeira
do Brasil.
Iníco

 do século XX




Operários transportando peças do gerador para serem instaladas na 
usina hidroelétrica do Lanifício São Pedro, junto à cascata véu de noiva.
 [ca. 1910]


 Vista parcial do local que atualmente abriga a Praça Dante Alighieri. Vê-se o 
trecho da rua Sinimbu esquina com Marquês do Herval. Antes da
 construção da praça, a água que empoçava noterreno sinuoso era utilizada pelas 
mulheres para lavarem roupa e também pelas crianças, que brincavam 
nas poças que enchidas pelas chuvas, ou pelos veios 




Grupo não identificado

ano 1910




Encenação teatral


1908




Vista parcial da praça Dante Alighieri, tomada a partir da rua Dr. Montaury 
esquina com avenida Júlio de Castilhos. À esquerda, o prédio do hotel Bersani.
Caxias do Sul, 1906 


Vista do trecho antiga rua Silveira Martins, também conhecida como "rua grande"
(atual avenida Júlio de Castilhos), nas imediações do clube guarani. 1910


Aspecto da antiga ponte Cel. Tancredo Feijó, conhecida também 
como " Ponte Negra", localizada no bairro Santa Catarina
Ano, 1909


Funcionários da metalúrgica Abramo Eberle no momento em que iniciava a caminhada
 em direção ao antigo veraneio balneário Germani, localizado no travessão Thompson Flores, para
 um piquenique e também batizado de Júlio Eberle, filho de Abramo. 
À frente, o conjunto
 musical independente. o
 local é a rua Marquês do Herval esquina com 
sinimbu, vendo-se ao 
fundo, no centro, a antiga funilaria Eberle.

 06/dez/1908




Grupo de pessoas reunidas por ocasião do batizado de 
Júlio Eberle, filho de 
Abramo Eberle, ocorrido no veraneio e balneário Germani


Vista do antigo prédio da intendência municipal. Na sacada, vê-s
Vista do antigo prédio da intendência municipal. Na sacada, 
vê-se o então intendente, Vicente Rovea
Ano, 1908


Momento da recepção ao criminalista italiano Enrico Ferri, por ocasião de sua visita à 
Caxias do Sul, em 29/out./1910. 
Além de famoso criminalista italiano, Ferri também foi professor, político, 
orador e militante socialista no seu país. 
Vindo a Caxias, reencontrou-se com agricultores que havia defendido em Veneza, em 1886,  
acusados de invasão de terras e incitamento à rebelião.
 Estes agricultores, já haviam conquistado aqui uma realidade social melhor, e 
uma situação econômica mais abastada. 
Em conferência que lotou o antigo Theatro São Pedro, falou sobre formas de organização 
operária. Encerrou seu discurso com o seguinte 
dizer: "a organização operária começa com a mutualidade, desenvolve-se na resistência
 e tende para a cooperação".
 29 de Outubro de 1910 


Aspecto de uma fazenda  com


características de localização na


região de Vila Seca, no início do século XX


Aspecto de quedas d'água do arroio Tega nas proximidades 


do antigo moinho Germani.


Ano, 1910


Vista da fachada da antiga fábrica de salame e presunto
 de Angelo Chittolina 
e antiga residência da família Chittolina
Ano, 1910


 Banho de rio nos arredores de Caxias
D.A 1910


Vista Parcial da Praça Dante Alighieri,
 ano 1907,




 ESTRADA DE FERRO


Na última década do século XIX o então, presidente da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, Júlio de Castilhos, 

assumiu o compromisso de criar 

uma estrada ferroviária ligando Caxias ao restante da província. A implementação da ferrovia aconteceu durante o governo de 

Borges de Medeiros.  

O projeto inicial previa a extensão da linha entre Porto Alegre e Novo Hamburgo, mas o traçado foi alterado visando uma maior 

abrangência da zona colonial italiana,. Em 1905 foi assinado o contrato entre a e

empresa belga, arrendatária de quase todas as ferrovias brasileiras: Compagnie Auxiliare de Chemins de

Fèr au Brèsil e a empreiteira, Empresa Oppitz & Gomes, formada por apenas dois sócios: o engenheiro austríaco, naturalizado 

brasileiro, Fernado Opptiz e 

o espanhol Constantino Gomes. Em 1908 foi construído o prédio da estação de passageiros. O ramal ferroviário foi inaugurado 

em 1 de Junho de 1910.


Operários na construção da estrada de ferro Caxias - Montenegro
Ano, 1908






Construção da estrada de ferro Caxias- Montenegro

1908


Operários e supervisores trabalhando na 
construção da estrada de ferro Caxias_Montenegro
Ano, 1908






Operários e técnicos trabalhando na construção da estrada ferro Caxias Montenegro
Ano, 1909
O primeiro a esquerda da foto, Albano Coelho de Souza e em sua frente seu filho, Engenheiro
agrônomo Leônidas Coelho de Souza que trabalhou na construção da estrada de
ferro, de 1905 até 31 de Janeiro de 1910.













Carregamento de trilhos e dormentes para
o término da construção da linha ferroviária
Caxias- Montenegro.
1909


Em primeiro de Junho de 1910 a Vila de Santa Thereza foi elevada
 a categoria de cidade e passou a se chamar, de forma simplificada, 
Caxias e já tinha 235 industrias e 186 casas comerciais. 
Nessa data, além da elevação a categoria de cidade, foi comemorada com 
muita festa a chegada do primeiro trem. 
DOMINGOS MANCUSO
foi o único fotógrafo a registrar em imagens, esse evento.
Em 2 de Abril de 1985, Graciema Paternoster Pieruccini, nascida em 
1892, relatou a sua 
lembrança sobre o acontecimento.

Na estação tinha bandeirinhas, a banda de música esperava 
as autoridades e somente um 
fotógrafo registrou a chegada do trem.
 Domingos Mancuso 
capturou a imagem em primitivosnegativos de vidro, esse feito entrou 
para a história da fotografia de Caxias.
 Apenas duas horas 
depois do clic, um clássico da fotografia caxiense era exposto no 
Café Marconi. Ninguém
 soube explicar como Domingos Mancuso, conseguiu exibir seu troféu 
em apenas duas horas.


Desfile comemorativo pela inauguração da estrada de ferro, 
Caxias-Montenegro. O local é a avenida Julio de Castilhos entre as ruas 
Visconde de Pelotas e Dr. Montaury.
Ano, 1910