OS PREFEITOS DE CAXIAS

Prefeitos de Caxias do Sul desde o início da colonização
Desde 1890, a administração pública do município passou pelas mãos de 34 homens. Saiba quem foram e as marcas que deixaram.
Pesquisa e texto de Paula  Sperb- Revista O Caxiense
Por questão de relevância, consideramos os feitos dos governantes a partir de José Penna de Moraes, cuja posse completa 100 anos em 2012. Os administradores anteriores foram Angelo Chitolina, Ernesto Marsiaj, Salvador Sartori, Antonio Xavier da Luz, José Domingues de Almeida Alorino Machado de Lucena 2°, José Cândido de Campos Jr., Alfredo Soares de Abreu, Firmino Paim de Souza, Serafim Terra, Vicente Rovea e Tancredo Appio Feijó. Penna de Moraes governou Caxias por 12 anos, com algumas interrupções, e é considerado o primeiro administrador a deixar marcas importantes para o município.
José Penna de Moraes (PRR) 1912-1924


FOTOGRAFIAS COM AUTORES IGNORADOS- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI, ADAMI DE CAXIAS DO SUL


AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI

AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI

AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI

AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI
AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI





AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI


AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI
AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI

JOSÉ PENNA DE MORAES
Natural de Santa Maria, onde foi jornalista e dono de jornal, foi eleito intendente de Caxias por 3 vezes consecutivas. Em um período de urbanização, seu mandato foi marcado pelo calçamento de ruas e abertura de estradas para o Interior. Também foi um dos primeiros a defender a indústria vinícola, combatendo a concorrência desleal dos vinhos estrangeiros (problema que permanece 100 anos depois). Morreu em 1937.


AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI

,HÉRCULES GALLÓ,

Natural de Crocemosso, na Itália, o perito em química Hercules Galló assumiu a intendência durante o período em que José Penna de Moraes se afastou para dirigir os Correios e Telégrafos de Porto Alegre. O bairro de Galópolis recebeu o nome em sua homenagem, pela importância que teve ao impulsionar a indústria têxtil naquela região, onde foi vendedor de tecidos. Morreu em 1921.
JOSÉ BATISTA-1915

Assumiu a intendência temporariamente em período de afastamento de Hercules Galló, por motivo de viagem.
AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI
Adauto Joaquim da Cruz (PRR) 1918


Assumiu a intendência temporariamente, durante período em que Penna de Moraes se afastou para uma viagem.

AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI
Natural de Apodí, no Rio Grande do Norte, se instalou em Porto Alegre fugindo da seca que acometia seu Estado. Trabalhou como comerciante e foi o último intendente de origem lusa nomeado pelo governo do Estado (pouco se sabe sobre os motivos da sua nomeação). Foi um dos articuladores na construção da Escola Complementar de Caxias, a primeira voltada para a formação de professores. Morreu em 1930, ia seu mandato.
Miguel Muratori


Advogado, foi um dos primeiros presidentes da Associação dos Comerciantes de Caxias. Substituiu Thomás Beltrão de Queiróz, de quem era vice-intendente. Último administrador a usar o título de intendente e o primeiro a ser chamado de prefeito – após a revolução de 1930 –, era conhecido pelo forte espírito nacionalista. Morreu em 1938.









AUTORES IGNORADOS- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI, ADAMI DE CAXIAS DO SUL

DANTE MARCUCCI 
O advogado Dante Marcucci foi um dos fundadores dos clubes Juvenil e Juventude. Morava em Porto Alegre quando, a pedido do então governador do Estado, general Flores da Cunha, voltou à cidade natal em 1935 para concorrer à prefeitura. Em 1937, seria nomeado pelo Estado Novo, tornando-se, até hoje, o administrador a ficar mais tempo, ininterruptamente, no poder. Em parte pelas boas relações que mantinha com Getúlio Vargas, foi responsável pela mudança no trajeto da BR-116, que em seu projeto inicial não passaria por Caxias. Também instalou na cidade a primeira rede telefônica do interior do Estado. Morreu em 1956.

EDUARDO RUIZ CARAVANTES

Natural de Porto Alegre e juiz de direito por 17 anos em Caxias, foi nomeado intendente após a queda de Getúlio Vargas, em um período em que não havia partidos políticos. Morreu em 1976. Em sessão na Câmara, dias após sua morte, o então vereador Mário Gardelin homenageou o amigo referindo-se a ele como um “homem incansável e de grande cultura jurídica”.

AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI
DEMÉTRIO NIDERAUER
Natural de Santa Maria, Demétrio Niederauer foi advogado, professor e jornalista. Dirigiu jornais na cidade e chegou a fundar um, O Popular. Atuou como prefeito interino durante apenas 7 meses, também nomeado pela junta que derrubou Vargas. Nesse período, criou a Biblioteca Pública Municipal (que leva seu nome) e o Museu Municipal. Morreu em 1970.

LUCIANO CORSETTI
O contador Luciano Corsetti foi o primeiro prefeito de Caxias do Sul nascido no município. Sua administração foi marcada pela preocupação com a educação. Construiu escolas em diversos locais do município, aumentou o quadro de professores e fundou a Escola Municipal de Belas Artes de Caxias do Sul. Morreu em 1973.
AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI

EUCLIDES TRICHES
Natural de Caxias do Sul e formado em Engenharia pela Escola Técnica do Exército, Euclides Triches chegou a ser governador do Estado do Rio Grande do Sul (1971-1975), nomeado por Emilio Garrastazu Médici. Foi neste cargo que fez a doação do terreno de 50 hectares para a Universidade de Caxias do Sul (UCS). Enquanto prefeito, eleito pelo Partido Democrata Cristão, construiu a represa de São Miguel e foi o idealizador de uma estrada que ligasse a Serra ao Litoral (o que viria a ser a Rota do Sol). Morreu em 1994.

HERMES JOÃO WEBBER

Natural de Caxias do Sul, Hermes João Webber foi o primeiro presidente da Codeca, empresa que ajudou a estruturar. Antes de ser eleito prefeito, concluiu o último mandato de Euclides Triches. Foi um dos fundadores da Universidade de Caxias do Sul, juntamente com Virvi Ramos e Dom Benedito Zorzi. Morreu em 1983.

AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI
RUBEN BENTO ALVES

Natural de Caxias do Sul, o contador Rubem Bento Alves foi o fundador da Rádio Difusora Caxiense. Em sua vida política, foi vereador, prefeito, deputado estadual e federal. Sua administração teve ênfase no incentivo à agricultura. Deixou o cargo para assumir a direção do Banrisul, durante o governo de Leonel Brizola. Morreu em 1974.

BERNARDINO CONTE


Natural de Garibaldi, o jornalista e empresário Bernardino Conte foi fundador e proprietário do jornal O Pioneiro, de Caxias, até sua compra pelo Grupo RBS, em 1993. Foi vereador por dois mandatos e presidente da Câmara. Foi nessa condição que assumiu a prefeitura, quando Rubem Bento Alves elegeu-se deputado Estadual e seu vice, Guido Mondin, senador. Como chefe do Executivo, foi responsável por construções de escolas no Interior e pela pavimentação da BR 116. Também destinou verba para construção do presídio. Em 1991, recebeu o título de cidadão caxiense.

AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI

ARMANDO ALEXANDRE BIAZUS
Empresário, foi vereador e presidente da Câmara. Marcou sua administração por obras de saneamento, dando início à construção da barragem da Maestra. Também em seu mandato, fundou a Farmácia Municipal Poupular. Depois de prefeito, foi diretor do Samae na cidade. Em 1961, Biazus concedeu o título de Cidadão Caxiense ao empresário Assis Chateaubriand, garantindo a transmissão ao vivo, para todo o Brasil, da Festa da Uva daquele ano (ainda em preto e branco), pela rede Associadas, de Chatô. Morreu em 1971.

VICTÓRIO TREZ

Natural de Guaporé, o gerente do Banrisul Victório Trez ingressou na vida política só aos 50 anos, quando foi nomeado candidato pelo MDB, combatendo a ditadura militar em seu auge. Governou Caxias por 2 vezes e teve 2 mandatos como deputado estadual. Entre suas principais obras, estão as construções da barragem do Faxinal e do Aeroporto Regional Hugo Cantergianni. Considerado um símbolo do PMDB no município, morreu em 2004.






AUTOR IGNORADO- ACERVO ARQUIVO HISTÓRICO DA CÂMARA MUNICIPAL
E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL JOÃO SPADARI ADAMI

MÁRIO BERNARDINO RAMOS
O radialista e empresário que recebeu o título de Cidadão Caxiense em maio de 1999 foi prefeito de Caxias do Sul, deputado estadual e secretário de Estado. Como prefeito, uma de suas obras mais representativas foi a construção dos Pavilhões da Festa da Uva, que abrigaram o evento em 1974. Em 2002, o Parque de Exposições Festa da Uva passou a se chamar Parque Mário Bernardino Ramos, em homenagem ao ex-prefeito. No ano seguinte, Ramos deixou a prefeitura para assumir a Secretaria de Turismo do Estado. Morreu em 2002.

MÁRIO DAVID VANIN

Nascido em São Marcos, Mario Vanin veio para Caxias ao iniciar seus estudos em Ciências Jurídicas e Sociais na UCS. O primeiro contato intenso com a política foi em 1968, quando elegeu-se vereador pela Arena. Em 1975, assumiu a gestão do prefeito Mário Bernardino Ramos, que tornou-se Secretário Estadual de Turismo, gerenciando parte das obras dos Pavilhões da Festa da Uva, iniciadas por Mário Ramos. Em 1989, foi novamente eleito vice-prefeito e, em 1992, elegeu-se prefeito. Nesta gestão, deu início ao Plano Físico Urbano de Caxias, antecessor do Plano Diretor. Sua gestão ficou marcada por obras de saneamento e construção da Perimetral Sul, construção do primeiro posto de saúde 24 horas e o Hemocentro. Também foi presidente da Festa da Uva e esteve ocupou a cadeira número 11 da Academia Caxiense de Letras. Mario Vanin morreu em agosto de 2011.

                MANSUETO DE CASTRO SERAFINI FILHO


GILBERTO JOSÉ SPIER VARGAS 

(PEPE VARGAS)
O médico Pepe Vargas nasceu em Nova Petrópolis, mas mudou-se ainda criança para Caxias, onde se interessou pela política na adolescência. Costuma destacar que, quando foi vereador de Caxias, recusou um aumento salarial de 99%, que depois foi considerado ilegal. Em sua administração, uma das marcas foi a criação de Secretarias, como a da Cultura – com criação do Financiarte, do Centro de Cultura Dr. Ordovás, da Cia Municipal de Dança e da Orquestra de Sopros -, criação da Secretaria do Esporte e Lazer, com o fundo de financiamento do Esporte e Lazer e a criação das Secretarias de Desenvolvimento Econômico e Secretaria do Meio Ambiente. Além disso, investiu na construção de Unidades Básicas de Saúde e do Postão, implantou o orçamento participativo e a bilhetagem eletrônica nos ônibus. Também foi deputado estadual e elegeu-se deputado federal em 2006. Em março de 2012, abriu mão da candidatura à prefeitura ao ser anunciado ministro do Desenvolvimento Agrário.