"Little Boy" and "Fat Man"FOTOGRAFIAS TESTEMUNHAS DA HISTÓRIA

"Little Boy" and "Fat Man"

a visão do inferno
Edição e texto; Renan C. Mancuso.
Fotografias: Forças Armadas dos  EUA

É difícil imaginar a visão que 140 mil pessoas: crianças, mulheres e homens, tiveram na manhã do dia 6 de Agosto de 1945. Um enorme clarão, antes de serem fulminadas. O que serve de consolo é que dessas 140 mil, 70 mil delas tiveram morte instantânea, nada sofreram, mas ao restante, em torno de 80 mil pessoas o sofrimento antes da morte, foi terrível. E aqueles milhares que sobreviveram arrastaram pelo resto de suas vidas as cicatrizes no corpo, pelos ferimentos e na alma, pela perda de forma tão terrível, de seus parentes e amigos. "As cicatrizes da alma em sua eterna visão do inferno, no dia em que o demônio desceu do céu". Após a segunda bomba, três dias depois sobre Nagasaki matando mais 80 mil pessoas, só restou ao mundo implorar, nunca mais. Nunca mais? Pensar em um mundo sem guerras que acompanham o homem desde seus primórdios é quase uma utopia. Acreditar que a sofisticação para destruir e matar seus inimigos tenha chegado ao seu limite em Hiroshima e Nagasaki, também é utopia. Resta apenas esperar que o limite para a sofisticação destruidora de seus inimigos seja o medo de sua própria destruição.



As imagens fotográficas são obras  das Forças Armadas dos E.U.A ou funcionários do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, tiradas ou feitas durante o exercício de funções oficiais de um funcionário. Como uma obra do governo federal dos E.U.A, a imagem é de domínio público..


Fonte- Wikipédia